6 de outubro de 2008

A avaliação do pé diabético

Recebemos o cliente na unidade.
Iniciamos com uma entrevista e o preenchimento das fichas de avaliação do pé diabético.
O mesmo é orientado à retirar os sapatos e meias e deitar-se na maca.
Realizamos uma vistoria nos pés e de acordo com o que for detectado, iniciaremos as orientações necessárias.
Verificamos a presença dos pulsos pediosos e tibiais posteriores de ambos os pés através da palpação.
Realizamos o teste com o monofilamento de Semmes-Weinstein de 10 g. São testados 09 pontos na região plantar e 01 ponto na dorsal:
Na região plantar: 1º,3º e 5º dedos, 1ª, 3ª e 5ª cabeças metatarsais, regiões laterais do meio do pé e calcanhares. No dorso, entre 1º e 2º dedos.
Ausência de sensibilidade em 4 ou mais pontos demonstra neuropatia sensitiva.
Essas observações serão anotadas na ficha de avaliação individual do cliente.

 Observamos a presença de:
. Onicomicose e micoses interdigitais.
. Presença de podos em garra ou em martelo.
. Hiperceratoses e fissuras de calcanhares.
. Calosidades com ou sem núcleo.
. Hálux valgo ou varo.
. Onicofoses- presença de material córneo sob as unhas.
. Onicocriptoses- unhas encravadas.
. Onicogrifose-unhas em garra.
. Pé plano(pé de Charcot).
. Onicodistrofia.
. Pé equino
. Presença de cravos ou verrugas.
. Proeminência de metatarsos (consequência de um pé equino)
. Orientamos o uso do calçado adequado. Que seja macio, sem costuras por dentro e com solado grosso.
. Mante-los limpos, secos e nunca apertados.
. Não andar descalço.
. Evitar molhar os pés.
. Enxugar entre os dedos após o banho.
. Colocar toalhas e calçados no sol.
. Usar lixa e pedra pome nas calosidades.
. Nunca usar água muito quente nos pés.
. Manter unhas aparadas e lixadas. . Vacina antitetânica em dia.
. Não retirar cutículas, apenas o excesso.
. Não usar esmaltes.
. Usar cremes e emolientes nos pés ao se deitar.
. Manter pés e pernas hidratados.

    Nenhum comentário: